Vale do RosmaninhoVale do Rosmaninho

Criação de Raínhas 2014, continuação…

A época já vai a meio… tendo sido uma luta constante entre nós e as abelhas, pois elas é que mandam e nós temos que nos ir adaptando e gerindo a exploração à sua mercê.
 
Apesar das primeiras fecundações não terem tido uma boa taxa de sucesso (59%), graças a duas semanas que houve com chuva e frio, é sempre um prazer ter dias como o de hoje, onde mais uma vez “colhemos aquilo que temos vindo a plantar”. Foi dia de recolher rainhas fecundadas.
 
Esta altura é sempre complicada, pois é uma luta constante para que as criadeiras não enxameiem e mantenham a sua força em pleno. A nossa experiência leva-nos a ter sempre colónias selecionadas para poderem vir a ser “criadeiras de rainhas”, pois existe sempre alguma criadeira que nos passa a perna e… ou enxameia, ou matamos a raínha por acidente, ou entretanto perde a força por algum motivo, etc, etc, havendo sempre colónias de substituição.
 
 
Junta-se a isso a planificação dos nascimentos, novos pickings, recolha de alvéolos reais, povoamentos de falhas, expedição de rainhas virgens e fecundadas, desdobramentos, gestão das colmeias de produção… enfim, muito trabalho.
 
Podemos dizer que o ano está a ser normal, pois os resultados apesar de nunca serem os esperados, estamos a atingir os objectivos e acima de tudo, a aprender e evoluir.
 
 
Este ano, mais do que nunca o consumo de abelhas ao kg tem sido impressionante, onde já consumimos mais de 100kg de abelhas, entre iniciadoras e povoamentos de núcleos de fecundação. Isto leva-nos a refletir sobre o futuro da apicultura portuguesa e a olhar para outros países tais como Austrália, USA e Canadá, que têm muita tradição no uso de paquetes de abelhas.
 
 
Tem sido impressionante o poder de recuperação de algumas colónias após lhe retirarmos metade das suas abelhas… parecem autênticas vacas leiteiras. Não estaremos nós a deitar dinheiro fora ao não aproveitarmos, aquilo que outros países mais evoluídos já fazem? Paquetes de abelhas!
 
À tempos falava com um amigo dos USA que produz umas boas centenas de paquetes de abelhas que envia para a Califórnia e ele não sabia o que dizer quando lhe referi que quase 100% dos apicultores portugueses não faz paquetes de abelhas… apenas núcleos de 5 quadros. Ficou escandalizado!
 
Este ano aprendemos muito no que toca a este assunto, achando que nunca mais vamos conseguir deixar de fazer paquetes, tanto para a criação de abelhas rainhas como também para formação de novas colónias.
 
Com isto quero dizer que seria importantíssimo, que alguns colegas apicultores começassem a pensar em se especializar na venda de pacotes de abelhas, com ou sem raínha. Se houver seriedade e honestidade, certamente que nos terá como clientes.
 
Entretanto, vamos continuar os nossos trabalhos, onde a prioridade é aprender e evoluir mais e melhor, de forma a tornar a actividade apícola o mais prática e rentável possível.
 
Algumas imagens de hoje, onde temos quase lotação esgotada:
 
– Raínhas virgens à esquerda, alvéolos reais à direita e rainhas fecundadas ao centro –
 
– Raínhas fecundadas prontas e ser enviadas –
 
 
Posso estar errado, contudo, penso que a nova “onda” de jovens apicultores em Portugal, muitos virão a ser “talvez” dos melhores apicultores que jamais Portugal teve, pois vão ser eles a traçar o novo rumo da apicultura portuguesa, que não é mais do que a prática de uma apicultura verdadeiramente moderna e profissional.
 
“A Apicultura Portuguesa está a mudar, nós também! Junta-te à mudança!”
 
João Tomé
…um apicultor, pela apicultura…
 
Comments are closed.

 
footer9b