Vale do RosmaninhoVale do Rosmaninho

Criação de raínhas – 2014

É com algum entusiasmo que iniciamos sempre um novo ano. Faltam poucos dias para o inicio de 2014 e de momento já andamos a “mil” na preparação da nova época que se avizinha.
 
Todos os anos os mesmos principios repetem-se, “aprender com os erros da época anterior e melhorar aquilo em que tivemos sucesso”.
 
Este ano não é excepção, muito pelo contrário, pois estamos a atingir um patamar novo, a profissionalização da apicultura na nossa exploração, principalmente no que toca à criação de abelhas rainhas, onde nos pretendemos especializar e ser uma referência.
 

Muito temos para aprender e desenvolver nesta área, pois como costumamos dizer, criar abelhas rainhas não tem muito que saber, mas criar abelhas rainhas com qualidade… aí sim existem pormenores e saberes que fazem a diferença.

 
A época passada, apostamos com bastante sucesso nos alvéolos reais, onde as rainhas fecundadas foram uma minoria, contudo este ano além dos alvéolos reais iremos apostar fortemente nas rainhas fecundadas. 
 
Temos de momento 370 mini núcleos de fecundação preparados para povoar em inícios de Março, esperando começar a entregar as primeiras raínhas no inicio de Abril. Infelizmente nem tudo corre como prevemos, esperando que a meteorologia ajude, pois temos como exemplo a época passada que atrasou tudo graças ao tempo frio e chuvoso.
 
– Novo modelo de mini núcleo de fecundação –

 Apesar dos objectivos que nos propusemos alcançar serem bastante ambiciosos (3000 mil raínhas das quais 1200 fecundadas), sabemos que não irá ser fácil, pois na apicultura 2+2 nunca são 4, mas uma coisa é certa, com humildade, iremos aprender e evoluir um pouco mais.

 
 
 
Este ano além de ligeiras alterações ao nosso modelo de mini núcleo de fecundação, as criadeiras iniciadoras orfanizadas irão ter um papel fundamental no inicio e final de época, aumentando bastante a aceitação das cúpulas nas alturas mais difíceis.
 
 
A inseminação artificial, que nos tem permitido cruzar as nossas melhores colónias umas com as outras, também terá um papel fundamental na ajuda da seleção e melhoria genética do nosso material vivo, tendo sido um dos maiores desafios que temos tido pela frente… Melhorar a nossa abelha ibérica!
 
 
Esperamos desta maneira que a próxima época seja de sucesso para todos os colegas apicultores, esperando também que continue a haver partilha de conhecimento nesta área entre todos, pois só assim podemos evoluir e aprender mais depressa.
 
João Tomé
…um apicultor, pela apicultura…
Comments are closed.

 
footer9b