Vale do RosmaninhoVale do Rosmaninho

Receita de timol para o tratamento contra a varroa!

Para os que não confiam em alguns dos produtos homologados (vai-se lá saber porquê…), e querem poupar uns tostões, cá vai a receita de timol em placas de vermiculite!

Produtos:
Esponja de vermiculite (dos arranjos das flores);
1 litro de óleo vegetal;
730g de Timol em cristais;
1 Seringa
1 panela
papel vegetal
Receita:
1º. Cortar a esponja de vemiculite em várias placas, bem como o papel vegetal do tamanho das placas;
2º. Aquecer o óleo vegetal e adicionar o timol até ficar completamente dissolvido. (Atenção à inalação dos vapores);

3º. Com a seringa retirar o preparado da panela e aplicar 20 ml por placa de vermiculite. (à medida que o preparado vai ficando mais frio na panela, irá dificultar a absorção pela placa, pelo que é recomendado ir aquecendo).

4º. Após aplicação do preparado em todas as placas, colocá-las umas em cima das outras separadas pelo papel vegetal. Cobrir as placas com papel de aluminio.

Aplicar uma placa por colmeia, ou meia placa em núcleos ou comeias fracas, em cima dos quadros com criação. Repetir o tratamento após 15 dias. 2 a 3 vezes por ano, após a cresta, no Outono e antes da Primavera.
Posso garantir que os resultados são excelentes. Quem tem estrados sanitários, poderá ver a quantidade de varroas que aparecem mortas na chapa de zinco, ficando algumas completamente vermelhas, de tantas varroas…
Os estudos sobre este tratamento sugerem resultados na ordem dos 96% de sucesso contra a varroa.
É mais um dos tratamentos que como não tem interesse $ para as industrias químicas, não é permitido por lei.
Só aconselho seguirem à risca as quantidades descritas e irem intercalando com outro tipo de tratamentos homologados.
A quantidade de timol por placa é de cerca de 12g.

  • octávio
    octávio
    05.01.2011

    Ora aí está! Parabéns! O bem de todos é de combater esta praga e, por conseguinte, evitar a morte das nossas colmeias.
    O bem de alguns é de "homologar" o locupletamento refugiado ou ao abrigo de "normas".
    O que interessa mais? Não será procurar o produto mais eficaz ao nosso eco-sistema?
    Renovo os meus parabéns e vou copiar a fórmula para a não esquecer.

  • Abelha Preguiçosa
    Abelha Preguiçosa
    10.01.2011

    Olá!
    Também concordo que o timol deita a baixo muitas varroas, no entanto apenas entendo isso como sinal de eficácia relativa. Chamo-lhe relativa e não absoluta porque há muitos factores que influenciam os resultados do tratamento, sendo um dos mais importantes o ritmo de postura da rainha aquando do tratamento.
    No caso de localizações como parece ser a sua, onde existe maioritariamente um tipo de flor, é natural que depois dela haja uma grande diminuição da postura por parte da rainha, devido à escassez cá fora, as abelhas e as varroas vão acabando de sair dos alvéolos à medida que a rainha reduz, e acredito que em alguns casos reduza bastante, a postura, o que faz com que a maior parte das varroas estejam em cima das abelhas e muito poucas dentro dos alvéolos. Nestas condições o tratamento do timol em vermiculite funcionará muito bem, porque a varroa está muito desprotegida.
    Em localizações onde a floração continua para além do rosmaninho, o caso muda de figura.
    Nestes casos se as abelhas se desfazem do timol em alguns dias, e a postura da rainha ainda é significativa, bem como a existência de uma zona grande de criação, o que acontece é continuarem a haver muitas varroas a reproduzir-se nos alvéolos e em alvéolos que vão ser selados, isto apesar de se verem muitas nos tabuleiros. Mesmo com um intervalo de tempo menor que 15 dias entre aplicações (10 em 10 dias ou 3 aplicações de 8 em 8, por exemplo) é muito difícil o enxame ficar tratado em condições…
    Não estou a criticar este tratamento, eu próprio utilizo em algumas casos, mas acho apenas que não se pode generalizar para todas as situações, e há sítios onde é muito difícil usa-lo com sucesso.
    É a minha opinião.
    Cumprimentos
    Ricardo

  • Rosmaninho
    Rosmaninho
    10.01.2011

    Caro colega,
    Tem toda a razão ao periodo e número de tratamentos por ano. Naturalmente que o que pode resultar na minha zona, poderá não ter tão bons resultado noutras regiões, cada um deverá aprender com os seus resultados e ajustar ao seu caso.
    Cumprimentos,

  • Malijo
    Malijo
    17.04.2011

    Costumo usar muito o timol e acho que aqui na minha zona tem grande eficácia:)

    mas assim desse modo em placas nunca tinha usado tou a pensar em experimentar este ano depois da cresta, em umas colmeias para ver se funciona bem 🙂

    http://malijo-apicultura.blogspot.com

  • Anónimo
    Anónimo
    17.04.2011

    De notar que quando digo um mínimo de 8 gramas de timol por aplicação , não me refiro ao tratamento completo. Cada ciclo de tratamento terá no mínimo duas a três aplicações, portanto 16 a 24 gramas por colmeia no mínimo.
    Abelhasah.

  • Anónimo
    Anónimo
    17.04.2011

    As minhas saudações apícolas !
    Parabéns por mais um blog que é muito bem vindo ao mundo da apicultura.
    Este tipo de tratamento com timol é muito eficaz .Eu uso o timol há cerca de 6 anos com excelentes resultados, mesmo num apiário onde ,pelas suas caracteríticas há criação operculada em quantidades apreciáveis durante todo o ano. Actualmente, como todos os tratamentos, mesmo os homologados , deve ser feita uma monitorização pós-tratamento.
    O timol, a par com o ácido fórmico, é um dos tratamentos ditos "biológicos" recomendados também para colmeias com criação operculada.
    A variabilidade de eficácia apontada ao timol deve-se, quanto a mim, ao uso de doses e timing´s desadequados. Ao contrário do que normalmente se pensa , a eficácia do timol desenvolve-se principalmente por contacto e não tanto pelos seus vapores.Há numerosos estudos que o demonstram. Se colocarmos timol dentro de uma colmeia, dentro de um dispositivo em que possa evaporar livremente , mas sem que as abelhas tenham acesso a contactar com ele, a eficácia é muito baixa, não ultapassando em média os 40%. A eficácia deve-se principammente ao contacto das abelhas com o produto e ao facto de , contactando entre elas, difundirem o timol a todas as abelhas, amas incluidas. Quem manuseia timol sabe que as mãos ficam com cheiro e mesmo depois de serem lavadas várias vezes o cheiro só desaparece ao fim de um ou dois dias!É que há afinidade do timol com os lípidos da pele, combinando-se com eles. A variabilidade começa a surgir quando em colmeias muito populosas, as abelhas roem as placas em 3 ou 4 dias removendo estas das colmeias ,deixando assim ao fim de mais 2 ou 3 dias de haver níveis terpêuticos suficientes. O inverso é verdadeiro . Em colmeias pouco populosas, as abelhas ocupam-se no aquecimento da criação, abandonando pouco o cacho para contactar com as placas. Há na colmeia vapores de timol, mas são insuficientes porque as abelhas têm pouco contacto directo com o produto .Também em regra o tempo de aplicação é insuficiente.
    Em estudos padronizados verifica-se que é necessário aplicar um mínimo de 8 gramas por colmeia em cada aplicação, assegurar-se que existe permanentemente timol dentro da colmeia, assim se as abelhas o removerem em 4 ou 5 dias , deve renovar-se a aplicação, e manter o tratamento durante dois ciclos completos de criação ou seja um mínimo de seis semanas. Assim aplicado a eficácia ultrapassa em regra os 90% mesmo em colmeias com razoáveis quantidades de criação operculada.
    Um abraço.
    Abelhasah.

  • Anónimo
    Anónimo
    17.04.2011

    caro amigo,
    pretendia que me informassem onde posso comprar o timol para fazer os meus tratamentos.obrigado

  • adelino ramos
    adelino ramos
    17.04.2011

    pois é amigo VALE ROSMANINHO varia de zona pra zona mas acho que esse tratamento tem uma certa eficácia em qualquer zona .
    eu últimamente tenho optado a titulo de experiência destruir os álvéolos dos zangãos onde as varroas se desenvolvem de preferência ,
    mas é muito trabalhoso mas é certo que deminue a população da varroa.
    cumprimentos .
    MEL FONTE NOVA

  • Jorge Santos
    Jorge Santos
    02.09.2011

    Boa tarde,
    antes de mais muitos parabéns p/qualidade do post.
    Será que me poderia informar em que tipo de lojas se pode adquirir o Timol em cristais. Desde agradeço a sua atenção.
    Cumprimentos,
    Jorge Santos

  • João Tomé
    João Tomé
    02.09.2011

    Caro Jorge,
    O timol em cristais vende-se em qualquer loja de apicultura. Sei de casos em que não os têm à mostra, mas se pedir eles têm.
    Cumprimentos,
    João Tomé

  • Anónimo
    Anónimo
    17.12.2011

    Olá boa noite a todos os colegas apicultores, estou com uma praga de varroa, será que o timol é indicado para esta época,e qual o tamanho das ripas? podem ser de cartão ou só de esponja. venderam-me supona e verifiquei que as abelhas começaram logo a morrer pelo contato, tive que retirar a supona mas mesmo assim ainda morreram bastantes abelhas. Aceito conselhos.

  • Anónimo
    Anónimo
    19.02.2013

    Ora viva a todos..
    Para quem utiliza ou já utilizou Timol, este produto deve ser aplicada só no início da Primavera, antes da floração e no Outono? Épocas de combate à varroa. Faço esta pergunta porque nunca utilizei este produto e gostaria de saber mais sobre a sua aplicação, que pelos comentários aqui descritos parece dar bons resultados.
    Saudações apícolas.

  • Rosmaninho
    Rosmaninho
    19.02.2013

    Boa noite,
    Este produto pode ser aplicado durante todo o ano, desde que as temperaturas não excedam os 35ºC.

    Cumprimentos,

  • Unknown
    Unknown
    18.07.2013

    boa noite,
    com os conhecimentos que tenho à cerca do timol, já vi alguns vídios, a mostrar tratamentos em colmeias, metendo com uma colher de sopa timol puro nas calhas suporte dos quadros, alguém me sabe explicar se este processo não é prejudicial às abelhas? uma vez que este faz libertação directa de toda a sua acção.
    cumprimentos,
    A.Escada.

Comments are closed.

 
footer9b